Aécio diz que deixa governo no início de 2010; assessoria rebate

quarta-feira, 19 de março de 2008 17:58 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Cotado como um dos possíveis candidatos à sucessão de Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições presidenciais em 2010, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), cometeu um deslize nessa quarta-feira que reforçou sua pretensão de disputar o Planalto daqui a dois anos.

Após o lançamento do Museu das Minas e do Minério, localizado a praça da Liberdade, em Belo Horizonte, Aécio afirmou que deixaria o governo do Estado no início de 2010, antes do fim do seu mandato de governador e dentro do prazo de desincompatibilização determinado pela lei eleitoral para os governantes que desejem disputar as eleições.

"Eu quero, antes de deixar o governo de Minas Gerais no início de 2010, deixar todas as intervenções na praça da Liberdade prontas, inauguradas e abertas ao público", afirmou a jornalistas o governador de Minas Gerais.

A assessoria de imprensa de Aécio Neves procurou a Reuters para dizer que o governador estava se referindo à época em que pretende entregar as obras e não ao momento em que vai deixar o governo mineiro.

Segundo o assessor que entrou em contato com a Reuters, Aécio teria dito que quer deixar prontas as obras na praça da Liberdade no início de 2010, antes de deixar o governo.

Mesmo admitindo que "a fala não foi feliz", a assessoria negou que o governador possa ter cometido um ato falho.

Aécio disputa com o governador de São Paulo, José Serra, a preferência do PSDB para se candidatar à sucessão de Lula.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)