Lula descarta ceder a protesto de bispo

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 13:22 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que os protestos do bispo dom Luiz Flávio Cappio e de seus apoiadores não vão alterar o projeto de transposição do rio São Francisco.

"Não tem como o governo ceder. A obra vai continuar e espero que o povo brasileiro compreenda que o que fizemos foi levar água para milhões de brasileiros que desde 1846 dom Pedro (2o) queria levar", disse Lula a jornalistas.

Alegando que sua administração está fazendo a maior política de revitalização do rio São Francisco de toda a história, Lula afirmou que o projeto vai levar água a cerca de 12 milhões de pessoas, que são vítimas da indústria da seca, em que caminhões-pipa são usados de maneira política.

Bispo de Barra (BA), dom Luiz Flávio Cappio, em greve de fome desde o dia 27 de novembro, foi internado em um hospital de Petrolina (PE) na quarta-feira, após passar mal.

"Ele esteve muito tempo inconsciente, mas após uma noite tomando soro está se recuperando e consciente", afirmou por telefone Rita Cappio, irmã do bispo, no início da manhã desta quinta. Ela estava com o bispo no hospital, depois que ele deixou a UTI e foi para um quarto.

Dom Cappio, de 61 anos, perdeu a consciência na quarta-feira e foi internado por determinação do médico que fazia o acompanha, frei Klaus Finkan.

Segundo a irmã do bispo, ele ficou muito abalado com as medidas do Supremo Tribunal Federal (STF), tomadas na quarta-feira. Em duas decisões, o STF assegurou a continuidade das obras de transposição do rio São Francisco.

Em 2005, o bispo de Barra fez jejum de onze dias pelo mesmo motivo.

(Reportagem de Carmen Munari e Maria Pia Palermo)