20 de Dezembro de 2007 / às 17:43 / em 10 anos

Bispo encerra greve de fome, mas diz que luta continua

SÃO PAULO (Reuters) - O bispo dom Luiz Flávio Cappio encerrou na noite de quinta-feira a greve de fome que já durava 23 dias, mas prometeu continuar a luta contra a transposição do rio São Francisco.

O bispo de Barra (BA) chegou a ser internado na véspera em um hospital de Petrolina (PE) após passar mal.

Na tarde de quinta, porém, ele recebeu autorização médica para deixar o hospital e foi até Sobradinho, na Bahia, para participar de uma missa, onde foi anunciado o fim do jejum.

Um comunicado escrito por Dom Cappio foi lido na missa por seu assessor, Adriano Martins, por volta das 20h50 do horário de Brasília (19h50 locais).

“Ele escreveu que ouviu o apelo dos familiares e amigos do movimento, considerou os pedidos desses companheiros de luta que querem vê-lo vivo e lutando, e por eles decidiu interromper o jejum, mas não a luta”, disse Martins à Reuters por telefone.

Segundo Martins, o bispo ainda não está em condições de alta e voltará ao hospital em Petrolina após a missa. “Ele ainda está em jejum e só voltará a comer no hospital, sob orientação médica”, disse.

“Estamos muito aliviados, indignados com o governo mas muito aliviados”, acrescentou Martins.

Segundo ele, cerca de 2.000 pessoas estavam na missa realizada ao ar livre, em frente à igreja, e muitas pessoas vibraram com o fim do jejum.

DESEJO DE DOM PEDRO

Questionado sobre o caso nesta quinta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que os protestos do bispo e de seus apoiadores não vão alterar o projeto de transposição das águas do rio.

“Não tem como o governo ceder. A obra vai continuar e espero que o povo brasileiro compreenda que o que fizemos foi levar água para milhões de brasileiros que desde 1846 dom Pedro (2o) queria levar”, disse Lula a jornalistas.

Alegando que sua administração está fazendo a maior política de revitalização do rio São Francisco de toda a história, Lula afirmou que o projeto vai levar água a cerca de 12 milhões de pessoas, que são vítimas da indústria da seca, em que caminhões-pipa são usados de maneira política.

Para os opositores do projeto, a transposição das águas irá beneficiar Estados sem déficit hídrico e passará longe da maioria da população rural. Eles também alegam que o governo está conduzindo o projeto de forma autoritária e favorecendo empreiteiras com verbas públicas.

O Ministério da Integração Nacional publicou no Diário Oficial da União desta quinta o resultado da concorrência para execução das obras do Lote 1 do projeto de integração do São Francisco com bacias do nordeste setentrional.

Segundo o site do ministério, o vencedor foi o consórcio Águas do São Francisco, formado pelas empresas Carioca, S.A. Paulista e Serveng. O valor global do lote é de 238,8 milhões de reais.

O início da execução das obras só será estipulado após assinatura do contrato entre o ministério e o consórcio.

Dom Cappio, que estava em greve de fome desde o dia 27 de novembro, foi internado na UTI do hospital na quarta-feira, mas após uma noite tomando soro foi transferido para um quarto nesta manhã.

Segundo sua irmã, Rita Cappio, ele havia ficado muito abalado com as medidas do Supremo Tribunal Federal, na quarta-feira, que asseguraram a continuidade das obras.

Em 2005, o bispo fez jejum de onze dias pelo mesmo motivo.

Reportagem de Pedro Fonseca e Fernanda Ezabella

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below