BOVESPA-Mercado segue Wall St e aproveita para realizar lucros

terça-feira, 20 de maio de 2008 12:20 BRT
 

SÃO PAULO, 20 de maio (Reuters) - Depois de três sessões consecutivas operando em alta recorde, a Bolsa de Valores de São Paulo apresentava queda nesta manhã, acompanhando o cenário externo e aproveitando para realizar lucros.

Às 12h14, o Ibovespa .BVSP, principal índice da bolsa paulista, desvalorizava 1,32 por cento aos 72.466 pontos. O volume financeiro negociado era de 2,3 bilhões de reais.

A bolsa paulista acompanhava o desempenho de Wall Street, cujos índices desvalorizavam em torno de 1 por cento desanimados com os dados de inflação ruins divulgados pelo governo norte-americano nesta terça-feira.

Os preços no atacado dos Estados Unidos subiram menos que o esperado em abril, em 0,2 por cento, devido a uma queda nos custos da gasolina. Mas o núcleo do índice, que exclui alimentos e energia, veio ruim: avançou 0,4 por cento, o dobro do esperado por analistas.

"Esse núcleo do PPI ruim indica que outros setores da economia america, fora o de combustíveis, estão sofrendo pressão inflacionária, o que é preocupante", afirma Carlos Alberto Ribeiro, diretor da Novação Distribuidora.

Outro indicador norte-americano também mostrou que a atividade econômica nos Estados Unidos enfraqueceu em abril em uma série de setores.

Segundo Ribeiro, além de seguir o desempenho externo, o mercado também está aproveitando para realizar lucros depois de vários pregões consecutivos de altas recordes. "Um pouco de realiazação é sempre salutar para o mercado."

Para o analista, o desempenho da bolsa paulista só não é pior porque as ações da Petrobras continuam apresentando um bom desempenho, a exemplo do que aconteceu nos últimos dias.

As ações preferencias da empresa (PETR4.SA: Cotações) subiam 0,38 por cento, negociadas a 50,19 reais graças aos novos recordes com o preço do petróleo, que continuam em alta.

Já as ações da Vale (VALE5.SA: Cotações), também com grande peso no desempenho do Ibovespa, caíam 2,28 por cento, a 57,36 reais. Mas o pior desempenho do dia no Ibovespa eram das ações da Usiminas (USIM3.SA: Cotações), que cediam 3,20 por cento, a 93,49 reais.