Governo permite condomínio para transmissão de energia

terça-feira, 20 de maio de 2008 17:00 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 20 de maio (Reuters) - O governo decidiu permitir que os geradores de energia de fonte eólica, biomassa ou pequenas centrais hidrelétricas formem um condomínio para interligar a energia a ser vendida à rede básica, eliminando, assim, o principal entrave que provocou o adiamento do leilão de energia de reserva nesta terça-feira.

O leilão visa comprar energia de usinas térmicas que só entrarão em operação em caso de escassez de chuvas ou problemas em outras usinas, e com energia gerada por fontes eólica, biomassa --principalmente a partir do bagaço da cana-de-açúcar--, e pequenas centrais hidrelétricas (PCHs).

Em decreto da Presidência da República nesta terça-feira, no Diário Oficial, a contratação para o transporte da energia deixa de ser apenas individual. O leilão de reserva foi remarcado para 30 de julho.

"O decreto permite a formação de condomínio de geradores na contratação de serviços de transmissão de energia elétrica e é fundamental para a viabilização da expansão da capacidade de geração instalada a partir de fontes alternativas em regiões com pouca ou nenhuma capilaridade de redes de transmissão", publicou o governo no D.O..

Segundo fontes do setor, os empreendedores de biomassa estavam em dúvida se participariam ou não do leilão de reserva desta terça-feira porque os custos de transmissão seriam altos, já que eles são responsáveis pela construção da linha até a rede básica. Agora, o valor poderá ser rateado entre os produtores.

(Reportagem de Denise Luna; Edição de Marcelo Teixeira)