BOVESPA-Otimismo com Petrobras esvazia pressão negativa de NY

terça-feira, 20 de maio de 2008 18:29 BRT
 

(Texto atualizado com mais informações e fechamento oficial da bolsa)

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO, 20 de maio (Reuters) - Uma nova escalada das ações da Petrobras esvaziou a pressão negativa de Wall Street nesta terça-feira, levando a Bolsa de Valores de São Paulo a fechar com leve alta.

Depois de ter chegado a cair 1,76 ao longo do pregão, o Ibovespa .BVSP ganhou força nos últimos minutos, para fechar com leve valorização de 0,11 por cento, a 73.516 pontos, o suficiente para garantir uma nova máxima histórica, a décima em 2008. O giro financeiro somou 7 bilhões de reais.

A exemplo das sessões recentes, a sequência de recordes das cotações internacionais do petróleo impulsionaram os papéis da estatal brasileira, os mais importantes do índice. O barril do óleo ultrapassou os 129 dólares pela primeira vez.

O ganho das ações, que servia apenas para amortecer as perdas do Ibovespa, ganhou força no final da tarde, em meio à expectativa de que a empresa divulgue informações sobre a descoberta de uma nova reserva de petróleo.

"A expectativa agora era de um novo poço no Espírito Santo", disse Vagner Salaverry, diretor da renda variável da corretora Geração. "Mas isso deve ser visto com cuidado, porque trata-se de uma área ainda em estudos", afirmou.

Pelo sim, pelo não, as ações preferenciais da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) deram um salto de 3,3 por cento, para 51,66 reais, com o melhor desempenho dentro do Ibovespa.

O movimento conseguiu frear a pressão negativa das bolsas de Nova York, após a divulgação de um indicador mostrando repique da inflação acima das expectativas nos Estados Unidos. O índice Dow Jones .DJI teve baixa de 1,53 por cento.

Esse movimento motivou realização de lucros com algumas ações que subiram bastante nas últimas sessões, como as preferenciais da Usiminas USIM5.SA, que caíram 2,5 por cento, a 92,24 reais. Na mesma linha, as preferenciais da Aracruz ARCZ6.SA recuaram 2,6 por cento, para 14,40 reais.

(Edição de Isabel Versiani)