Bovespa e BM&F avaliam união e podem dar passo na A. Latina

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008 15:08 BRT
 

Por Daniela Machado

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa Holding e a BM&F iniciaram conversas para uma integração, passo que pode levar à formação de uma das cinco maiores bolsas de valores do mundo e agilizar uma consolidação pela América Latina, segundo analistas.

As duas companhias informaram em fato relevante na noite de terça-feira que as negociações irão durar, no máximo, 60 dias. Nesse período, nenhuma das duas poderá manter qualquer negociação com uma terceira parte.

Uma fonte próxima às bolsas informou que a modelagem do negócio ainda não está definida.

Para a equipe de analistas da Planner Corretora, que acompanha as ações na Bolsa de Valores de São Paulo, o caminho mais provável é a aquisição da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pela Bovespa Holding --que poderia utilizar cerca de 1,5 bilhão de reais que têm em caixa, e não pode distribuir na forma de dividendos, para uma parte da compra.

Para o diretor da Global Financial Advisor, Miguel Daoud, o possível compartilhamento de dados e sistemas das duas bolsas "dá mais segurança e confiabilidade" aos investidores.

"E, uma vez que são sociedades anônimas agora, isso acaba otimizando custos e aumentando os lucros", acrescentou. "(O negócio) facilita também uma integração no Mercosul."

Outros analistas lembraram que o mercado financeiro da América Latina toda é muito fragmentado e a integração das bolsas brasileiras daria fôlego para que fizessem aquisições.

A BM&F é a maior da América Latina e a quarta maior do mundo em número de contratos negociados, de acordo com a Futures Industry Association. A Bovespa é o maior centro de compra e venda de ações e concentra cerca de 70 por cento do volume de negócios da região, segundo informações em seu site.   Continuação...