Vice-premier chinês defende impulso para demanda interna

quarta-feira, 20 de agosto de 2008 08:47 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A China deve aumentar os gastos domésitcos para manter sua trajetória de crescimento, à medida que a economia global se enfraquece, disse o vice-primeiro-ministro Li Keqiand.

Li, falando na cidade portuária de Tianjin, no norte da China, disse que há necessidade de aumentar a renda dos consumidores e o consumo rural.

"Aumentar a demanda doméstica é um fundamento essencial para promover o crescimento, assim como uma necessidade urgente para lidar com uma situação de mudança na economia internacional", disse Li segundo a agência de notícias oficial chinesa Xinhua.

Economistas esperam, cada vez mais, que o governo --que tem um orçamento superavitário-- aumente os gastos públicos e corte impostos nos próximos meses, para abrandar o impacto de uma demanda global pelas exportações chinesas mais fraca.

O JPMorgan Chase disse na terça-feira que o governo estava considerando um pacote de estímulo fiscal com valor entre 200 e 400 bilhões de iuans (entre 29 e 58 bilhões de dólares).

Pequim estabeleceu o objetivo na primera metade do ano de prevenir a economia de superaquecimento, mas anunciou uma mudança para uma política mais pró-investimento no último mês, à medida que as exportações recuaram.

(Reportagem de Zhou Xin)