RJ isenta importação de aço de ICMS para estimular estaleiros

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008 18:15 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 20 de fevereiro (Reuters) - Em meio às negociações para a compra de aço destinado à construção de navios licitados pela Transpetro, o braço de transporte da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), o governo do Estado do Rio de Janeiro editou decreto isentando de ICMS as importações de aço do Estado.

A medida tem por objetivo reduzir o preço de compra do insumo no mercado externo para forçar a queda do valor do aço no mercado interno.

"Queremos que os estaleiros do Rio e do Brasil tenham uma atuação internacional, vamos deixar o 'pau cantar' nessa história do aço", disse a jornalistas nesta quarta-feira o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Júlio Bueno.

A isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) será reavaliada em 2009, mas Bueno acredita que outros Estados vão entrar na briga com as siderúrgicas brasileiras.

Desde 2006 a Transpetro negocia com a Usiminas USIM5.SA e a Cosipa, do grupo Usiminas, a redução do preço do aço para a primeira fase da licitaçao de 26 navios petroleiros, que vão demandar 400 mil toneladas do produto.

O preço da Usiminas, segundo Bueno, estaria entre 20 e 30 por cento mais caro do que o produto similar importado.

A Transpetro informou que está fazendo consulta de preços internacionais para a compra desse volume de aço no mercado externo.

"O custo adequado do aço é uma necessidade, mão-de-obra e aço são os custos que mais elevam os preços no Brasil, não podemos permitir que os estaleiros do Brasil comprem aço mais caro do que um estaleiro da China ou da Coréia", disse o diretor da Transpetro, Agenor Junqueira.

Para o presidente do grupo Sinergy, controladora do estaleiro Mauá, German Efromovich, a compra no mercado internacional é mais vantajosa para o empresário do setor.   Continuação...