EXCLUSIVO-Presidente do Yahoo defende acordo com Google

sexta-feira, 20 de junho de 2008 19:57 BRT
 

Por Michele Gershberg

NOVA YORK (Reuters) - A presidente do Yahoo, Susan Decker, defendeu a parceria no setor de anúncio em sistema de busca pela Internet com seu maior rival Google, afirmando que alguns investidores e participantes da indústria ainda precisam entender suas vantagens.

Em entrevista para a Reuters nesta sexta-feira, Decker falou sobre as preocupações de que o acordo poderia eventualmente diminuir a posição de competição do Yahoo contra o Google, que tem ampliado seu domínio no mercado de busca.

A Yahoo ainda procura aumentar sua posição no mercado e testes que ambas empresas têm realizado mostram que o acordo não evitaria que o próprio sistema de anúncio Panama, do Yahoo, ganhasse mais território, disse ela.

"É realmente um preenchimento de áreas onde nós não temos muitos negócios", disse Decker. "É nossa escolha todos os dias se vamos e como podemos servir anúncios do Yahoo ou do Google, ou uma terceira parte se nós ampliarmos no futuro".

Ações do Yahoo caíram 16 por cento desde que a empresa afirmou, na semana passada, que havia encerrado as conversas com a Microsoft e começado a forjar um acordo não exclusivo de 10 anos com o Google.

O Yahoo estimou que o acordo pode acrescentar 450 milhões de dólares em fluxo de caixa no primeiro ano.

Investidores questionaram se o acordo se compara com a recente proposta de aquisição de uma parcela do Yahoo pela Microsoft para comprar seu negócio de busca da Internet por 9 bilhões de dólares, afirmando que o acordo poderia acrescentar 1 bilhão de dólares em lucros operacionais.

No mês passado a Microsoft retirou sua proposta de 47,5 bilhões de dólares pelo controle total da companhia.

Um investidor, Mark Nelson, da Mithras Capital, tem pedido para a Microsoft trazer sua proposta diretamente para os acionistas em sua reunião anual no dia 1o de agosto.

"Este é um acordo único. O mercado e os participantes ainda estão entendendo o que isto significa", disse Decker. "Não é uma venda completa ou nem mesmo parcial, e é por isso que acho que existe muito barulho de várias partes que estão tentando caracterizar este acordo como algo diferente", disse ela.