Mobilidade urbana preocupa candidatos no Rio para Jogos de 2016

quarta-feira, 20 de agosto de 2008 18:18 BRT
 

Por Carla Marques

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Um ano depois de eleito, o futuro prefeito do Rio de Janeiro saberá se a cidade foi escolhida como sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e terá que prepará-la para o maior evento esportivo do planeta.

Entre propostas mirabolantes e subestimação do tamanho do desafio, quase todos os candidatos destacam uma necessidade comum: melhorar a mobilidade urbana para a circulação de atletas, dirigentes, turistas e torcedores.

O senador Marcelo Crivella (PRB) defende grandes investimentos no setor de transportes, desde a criação de corredores exclusivos para ônibus --previstos no projeto do Comitê Olímpico Brasileiro (COB)-- até a expansão do metrô com recursos municipais, o que seria inédito pelo meio de transporte ser competência estadual.

Na questão dos ônibus, a proposta do senador é construir plataformas de embarque climatizadas e garantir o transporte de até 150 pessoas em cada coletivo.

Para que a cidade consiga faturar com turismo após os Jogos, Crivella tem projeto de padronizar toda a orla carioca, desde o Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim até a última praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste.

Ex-secretário estadual de Esportes, Turismo e Lazer, Eduardo Paes (PMDB) acredita que as propostas de investimento elaboradas pelo COB são "modestas e factíveis".

O candidato, que participou da elaboração como secretário, afirma que o foco deve estar nas áreas de transportes, segurança e meio ambiente --um consenso entre a maioria dos seus concorrentes.

"AEROMÓVEL"   Continuação...