Lula defende união com Argentina e Chile para ajudar Morales

quarta-feira, 20 de agosto de 2008 15:15 BRT
 

SÃO GONÇALO DO AMARANTE, Ceará (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou nesta quarta-feira o Chile e a Argentina para se unirem ao Brasil na ajuda ao presidente da Bolívia, Evo Morales, que vive um momento de forte conflito em seu país.

Segundo Lula, Morales obteve uma vitória "extraordinária" num referendo feito recentemente e que poderia revogar seu mandato, agora tem de ter tempo para conversar com todos os setores da sociedade boliviana e construir a paz.

"Eu tenho dito a todos os meus amigos presidentes da América do Sul que só existe possibilidade de um país crescer com muita paz", afirmou Lula a jornalistas, após o lançamento do terminal de gás natural liquefeito (GNL) no porto de Pecém, no Ceará.

"Brasil, Chile e Argentina têm de fazer gestões para que todos os setores que estão brigando hoje na Bolívia entrem em acordo", disse.

No mesmo evento, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou que o fornecimento de gás natural da Bolívia "está normal como sempre". O Brasil recebe cerca de 30 milhões de metros cubicos diários de gás do país vizinho.

(Por Denise Luna; Edição de Eduardo Simões)