Ataque à bomba em hotel no Paquistão mata pelo menos 40

sábado, 20 de setembro de 2008 13:29 BRT
 

ISLAMABAD (Reuters) - Um possível carro-bomba causou uma enorme explosão fora do hotel Marriot, na capital paquistanesa, neste sábado, e pelo menos 40 pessoas morreram, informou um chefe de polícia local.

O ataque aconteceu pouco depois do novo presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, ter feito seu primeiro pronunciamento em uma sessão conjunta do Parlamento do país. Ele prometeu que o Paquistão não tolerará qualquer invasão de seu território em nome da luta contra o terrorismo.

"Um carro cheio de explosivos invadiu o Marriot e até agora já tiramos de lá 40 corpos, mas o número poderá ser bem maior", disse o chefe de polícia, Ashgar Raza Gardazi.

A polícia afirmou que pessoas ainda se encontram presas no hotel. Uma grua foi trazida para tentar tirar as pessoas do local. Focos de incêndio começaram em pelo menos dois locais do prédio e se espalharam para outras partes do hotel, que tem 290 quartos e está perto do centro da cidade.

A explosão fez cair o teto de uma sala de banquete em que cerca de 200 a 300 pessoas jantavam para quebrar o jejum do mês sagrado do Ramadã. Entre eles, estava Imtiaz Gul, jornalista.

"Nós só pensamos em correr para nos proteger. Eu consegui ver um monte de pessoas feridas deitadas no chão em volta de mim", disse Gul.

A explosão fora do Marriott foi a maior a acontecer em Islamabad e destruiu dezenas de carros que estavam na rua em frente. O força da detonação foi tão grande danificou janelas e prédios distantes centenas de metros do hotel, cuja sede da rede está nos Estados Unidos.

A explosão abriu uma enorme cratera na rua perto das barreiras de segurança do hotel. A rua foi tomada por destroços, pedaços de árvores e fumaça.

O hotel, popular entre estrangeiros, já foi atacado duas vezes, mas a explosão da noite de sábado foi a mais séria na capital paquistanesa desde que o país se uniu à campanha liderada pelos Estados Unidos contra o terrorismo.