Gabeira critica "pegadinha juvenil" e cita Lula em debate no Rio

segunda-feira, 20 de outubro de 2008 07:24 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 20 de outubro (Reuters) - Com a intensificação dos ataques de Eduardo Paes (PMDB), com quem está tecnicamente empatado, Fernando Gabeira (PV) precisou evocar o nome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para escapar de uma armadilha retórica.

Em debate promovido pela TV Record, neste domingo, Paes usou uma sigla administrativa para se referir à Zona Norte ao dirigir uma pergunta ao concorrente, que classificou a situação como "pegadinha juvenil".

"A campanha em que Lula foi candidato, o candidato do PMDB fez uma pegadinha. Perguntou sobre a Cide (imposto que incide sobre os combustíveis). O Lula não sabia. E o Lula venceu as eleições. Eu não tenho medo de não saber algumas coisas", afirmou Gabeira, citando seu ex-aliado político e atual cabo eleitoral de Paes na cidade.

Com freqüência, o peemedebista tem acusado Gabeira de fazer turismo eleitoral no Rio e de não conhecer o funcionamento dos órgãos da prefeitura. Em ato falho no sábado passado, Gabeira chegou a dizer que gostaria de instalar um gabinete da prefeitura na Zona Oeste para o prefeito não "morar apenas no Rio de Janeiro".

"Estava chovendo. Nós estávamos falando no meio da rua. Eu disse que a prefeitura não podia ficar apenas no Rio. Eu queria dizer no Centro do Rio de Janeiro. Essas tentativas são para me jogar contra a Zona Oeste", disse Gabeira.

"É uma tentativa incrível de dizer que eu sou o candidato dos ricos contra o candidato dos pobres", complementou ele, que lembrou sua infância pobre no interior mineiro.

Em seguida, Gabeira fez uma provocação ao peemedebista, dizendo que é "muito possível" que consiga o maior número de votos na Zona Oeste --região com 1 milhão de eleitores e dominada por Paes no primeiro turno.

Gabeira contou já ter percorrido 40 mil quilômetros nesta campanha, "quase a volta ao mundo". O candidato disse também ter sido professor voluntário na Zona Oeste antes do exílio e de ter chegado ao local da chacina de Vigário Geral "antes de as velas serem acendidas".

"Dizer que eu não conheço o Rio de Janeiro é um absurdo", concluiu Gabeira.   Continuação...