BOLSA ÁSIA-Mercados têm rali após ação de governos contra crise

segunda-feira, 20 de outubro de 2008 07:52 BRST
 

Por Kevin Plumberg e Rafael Nam

HONG KONG, 20 de outubro (Reuters) - Os mercados asiáticos fecharam em alta pela primeira vez em quatro sessões depois que a Coréia do Sul tornou-se o mais recente país a fortalecer seu setor bancário. A medida do governo sul-coreano fez investimentos considerados mais seguros, como papéis de governo, perderem parte de seu brilho recente.

"Um giro de ações políticas recentes por todo o mundo deu algum alívio ao setor bancário das principais economias", disse Kengo Suzuki, estrategista de câmbio da Shink Securities em Tóquio.

"Mas o estado do mercado permanece muito frágil, com preocupações se acumulando sobre a economia global e os mercados emergentes", disse Suzuki.

O índice MSCI das principais ações da Ásia-Pacífico com exceção do Japão .MIAPJ0000PUS registrava às 7h40 (horário de Brasília) alta de 4,2 por cento, marcando o primeiro dia positivo em quatro sessões. No ano, porém o indicador ainda registra queda de cerca de 50 por cento.

A bolsa de TÓQUIO .N225 subiu 3,6 por cento. Os ganhos na região se solidificaram no decorrer do dia, com expectativas de que a ação de governos por todo o mundo para resgatar o setor financeiro, juntamente com medidas para injetar liquidez, ajudarão os mercados a enfrentar a pior crise financeira desde a Grande Depressão.

Durante o final de semana, a Coréia do Sul prometeu 130 bilhões de dólares em guarantias do Estados e injeções de capital, enquanto o governo holandês afirmou que dará apoio ao grupo ING ING.AS(ING.N: Cotações) com cerca de 10 bilhões de euros.

O mercado da Coréia do Sul reverteu perdas anteriores do começo do dia. A bolsa de SEUL .KS11 fechou em alta de 2,3 por cento e outros mercados subiram ainda mais, com HONG KONG .HSI e Austrália .AXJO registrando alta de mais de 4 por cento cada.

XANGAI .SSEC teve valorização de 2,2 por cento. Na ÍNDIA .BSESN, a bolsa subiu 2 por cento e CINGAPURA .FTSTI registrou valorização de 3,2 por cento. TAIWAN .TWII foi na contra-mão das bolsas na região e recuou 0,58 por cento.

Dados divulgados na segunda-feira mostraram que a taxa de crescimento da China desacelerou para 9,0 por cento no terceiro trimestre, atingida pela crise de crédito global e um setor imobiliário mais fraco. O dado deixa a economia chinesa em rota de expansão anual de um único dígito pela primeira vez desde 2002.