ATUALIZA-Bernanke afirma que 2o pacote de estímulo é necessário

segunda-feira, 20 de outubro de 2008 14:06 BRST
 

(Texto atualizado com mais informações e comentários de analistas)

Por Emily Kaiser e Mark Felsenthal

WASHINGTON, Outubro 20 (Reuters) - O chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, afirmou ao Congresso dos Estados Unidos nesta segunda-feira que um nova onda de gastos governamentais pode ser necessária à medida que a economia atravessa o que pode ser um longo período de baixo crescimento.

"Com a provável fraqueza da economia por diversos trimestres, e com alguns riscos de uma desaceleração prolongada, considerar um pacote fiscal no Congresso nesta conjuntura parece apropriado", afirmou Bernanke no Congresso.

Esta foi a primeira vez que o chairman do banco central dos EUA apoiou explicitamente um segundo pacote de estímulo. O governo enviou aproximadamente 100 bilhões de dólares em restituições de impostos no meio do ano para tentar impulsionar a economia, mas os gastos dos consumidores tem se enfraquecido desde então. As vendas no varejo caíram por três meses consecutivos até setembro.

"Uma das coisas mais significativas é o apoio dele a mais um pacote fiscal, o que eu acredito que faz bastante sentido", afirmou Nigel Gault, diretor de pesquisas econômicas da Global Insight.

"O governo está atuando como suporte ao sistema financeiro, mas também terá que dar suporte à economia real, quase como um gastador de última instância, pois os gastos do setor privado estão caindo fortemente".

Por muitos meses, os democratas no Congresso têm pressionado por uma medida de estímulo econômico que pode chegar a dezenas de bilhões de dólares para projetos de construções imobiliárias, reformas de rodovias, pontes e outros projetos de infra-estrutura enquanto, ao mesmo tempo, cria empregos e investimentos locais.

Os democratas também querem mais ajuda aos pobres atingidos pela desaceleração econômica. Eles ainda querem ampliar os gastos federais para ajudar os Estados a pagar os crescentes custos de saúde para os pobres.

Parte destas idéias foram oferecidas pelos democratas durante a negociação do primeiro pacote de estimulo econômico aprovado anteriormente, mas elas foram rejeitadas pelo governo Bush.