PANORAMA-Investidor rejeita risco e derruba bolsa no Brasil

quarta-feira, 21 de novembro de 2007 19:19 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 21 de novembro (Reuters) - O mau humor dos investidores estrangeiros dominou o mercado brasileiro nesta quarta-feira, com nova alta do dólar e forte queda da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

A turbulência foi provocada pelo aumento da aversão a risco no exterior. Sem confiança na economia norte-americana, que sofre com a alta do petróleo e com o impacto da crise no setor financeiro, os investidores continuaram a se desfazer de ativos arriscados, buscando refúgio nos Treasuries norte-americanos.

Com a maior procura, o rendimento do bônus de referência dos Estados Unidos, com vencimento em 10 anos US10YT=RR, chegou a cair abaixo de 4 por cento pela primeira vez desde setembro de 2005.

"O mercado está operando com base na emoção", disse George Adell, estrategista de renda fixa do Commerce Capital Market, na Florida. "Ninguém sabe quando essa correção no mercado imobiliário e de crédito vai atingir o ponto máximo."

O menor apetite pelo risco se refletiu também no comportamento do dólar ante o iene. A moeda japonesa, que financia boa parte das operações de arbitragem, atingiu a maior cotação em 2 anos em relação ao dólar.

As bolsas de valores sofreram com a maior cautela dos investidores. Em Wall Street, o Nasdaq chegou a cair 2 por cento no momento mais tenso. O principal índice europeu .FTEU3 perdeu 2,5 por cento, e algumas bolsas asiáticas recuaram mais de 3 por cento.

No Brasil, a Bovespa sofreu a terceira queda seguida, e chegou a perder por alguns instantes o patamar de 60 mil pontos. O dólar, que há uma semana estava no menor nível desde 2000, fechou em alta e voltou a se aproximar de 1,80 real.

O risco-país traduziu essa piora, com alta de 11 pontos, para 232 pontos. O índice Embi+ 11EMJ, que inclui outros mercados emergentes, também avançou e atingiu o maior nível desde setembro de 2005, segundo o JPMorgan.   Continuação...