Gastos pessoais nos EUA avançam 1,1% e superam previsão

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007 12:12 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - Os gastos pessoais nos Estados Unidos aumentaram 1,1 por cento em novembro, resultado mais alto em dois anos e acima do previsto, informou o Departamento de Comércio nesta sexta-feira.

Economistas ouvidos pela Reuters esperavam alta de 0,6 por cento nos gastos.

O índice dos preços com gastos pessoais (PCE, na sigla em inglês), uma importante medida de inflação, subiu 0,6 por cento, maior alta desde setembro de 2005. O núcleo do PCE, que exclui preços de energia e alimentos, avançou 0,2 por cento, em linha com a expectativa de analistas.

O núcleo do PCE na comparação anual, leitura preferida do Federal Reserve, avançou 2,2 por cento --taxa mais alta desde março. O índice cheio subiu 3,6 por cento na comparação com um ano atrás, no maior aumento em 12 meses desde outubro de 2005.

Os gastos reais avançaram 0,5 por cento em novembro.

"Mais uma vez parece que o fim do consumo nos Estados Unidos foi exagerado", afirmou Marc Chandler, chefe da área de estratégia de câmbio no Brown Brothers Harriman, em Nova York.

(Reportagem de Mark Felsenthal)