Líder iraquiano pede restrição de patrulhas apoiadas pelos EUA

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007 08:33 BRST
 

BAGDÁ (Reuters) - O líder iraquiano xiita Abdul Aziz al-Hakim pediu nesta sexta-feira por uma restrição das unidades de patrulha apoiadas pelos Estados Unidos, que são em sua maioria formadas por sunitas, alegando que as armas deveriam estar apenas nas mãos do governo.

Hakim, líder do maior partido no governo xiita, elogiou o papel das patrulhas ao contribuir para a queda na violência, mas disse que elas deveriam apenas ter um papel auxiliar.

Para Hakim, é necessário que as patrulhas sejam um braço armado do governo na busca por criminosos e terroristas, e não um substituto disso.

Ele fez um discurso nesta sexta-feira para centenas de xiitas em seu complexo em Bagdá devido à festividade muçulmana do Eid al-Adha.

"Armas deveriam estar apenas nas mãos do governo", disse.

Os EUA afirmam que o número de homens árabes sunitas nas patrulhas é de cerca de 71 mil. Eles são considerados uma força efetiva contra militantes sunitas da Al Qaeda.

O exército dos EUA, que paga 10 dólares por dia para a maioria dos patrulheiros, acredita que alguns deles podem ter contatos com grupos insurgentes, mas afirma que faz uma triagem para tirar os que são responsáveis por ataques.

Hakim disse que as patrulhas deveriam ser religiosamente misturadas sempre que possível, refletindo o desconforto de líderes xiitas no Iraque com esses grupos armados sunitas que poderiam se virar contra eles assim que as forças dos EUA se retirarem do país.

(Por Alaa Shahine)