Exportação japonesa ganha impulso pré-olímpico mas deve recuar

quinta-feira, 21 de agosto de 2008 07:12 BRT
 

Por Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO, 21 de agosto (Reuters) - A China continental emergiu como principal destino para as exportações do Japão em julho, fato inédito desde a Segunda Guerra Mundial, superando o enfraquecido mercado dos Estados Unidos graças a um impulso pré-olímpico da demanda que deve provavelmente murchar à medida em que a economia global desacelera.

As exportações japonesas cresceram 8,1 por cento em julho, na comparação com o mesmo período do ano passado, superando a estimativa de mercado, que apontava para um avanço de 5,6 por cento. Em junho, as exportações japonesas recuaram 1,8 por cento, na comparação anual.

As importações, por sua vez, avançaram 18,2 por cento em julho, contra expectativa de crescimento de 12,9 por cento.

Com isso, o saldo da balança comercial japonesa ficou positivo em 91,1 bilhões de ienes (830 milhões de dólares), uma queda de 86,6 por cento em relação ao registrado em julho do ano passado.

As estimativas do mercado apontavam para uma retração de 62,9 por cento do saldo comercial japonesa.

As vendas para a Ásia, mercado que absorve cerca de metade das exportações japonesas, cresceram 12,7 por cento na comparação anual. As vendas apenas para a China avançaram 16,8 por cento.

No caso dos Estados Unidos, as vendas recuaram 11,5 por cento em julho, marcando a 11a queda mensal consecutiva, na comparação do desempenho anual.