Aneel adia leilão de linhas de transmissão das usinas do Madeira

terça-feira, 21 de outubro de 2008 17:05 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 21 de outubro (Reuters) - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) adiou de 31 de outubro para 28 de novembro o leilão de linhas de transmissão das usinas hidrelétricas do rio Madeira, em Rondônia, um projeto avaliado em 7,2 bilhões de reais.

O adiamento era de certa forma esperado, depois que empresas que participariam do leilão informaram que estavam com dificuldades para obter crédito, em meio à crise global de liquidez, como admitiu o ministro Edison Lobão na semana passada.

Mas a Aneel informou que a mudança foi provocada principalmente pela necessidade de modificar o edital para evitar problemas no leilão, que pela primeira vez será dividido em duas etapas, sendo a primeira para escolha do tipo de corrente que será utilizada, contínua ou híbrida (alternada e contínua), e a segunda para a venda das linhas.

A medida desta terça visa evitar que se a primeira etapa, que vai definir a tecnologia, tiver algum lote vazio, ou seja, sem propostas, comprometa a segunda etapa do leilão, da venda das linhas.

"A alteração é necessária para avaliar qual será a forma de escolha da tecnologia nos casos em que há um lote vazio em ambas as alternativas", explicou a nota. O edital será republicado na sexta-feira.

De acordo com a nova sistemática somente haverá definição de opção tecnológica quando ao menos uma das opções possua lances válidos para todos os lotes.

Também foi eliminada a possibilidade de prosseguimento do leilão caso inexistam propostas para qualquer uma das alternativas. A opção tecnológica vencedora será definida pela soma dos menores valores propostos para cada um dos lotes.

A preocupação da Aneel é não comprometer a modicidade tarifária, objetivo do governo nos leilões do setor de energia, nos quais vence quem ofercer a menor tarifa ao consumidor final.

Serão ofertados sete lotes com as linhas de transmissão e subestações previstas no planejamento do governo para as duas usinas do rio Madeira, Santo Antônio e Jirau, com capacidade para gerar 6.450 megawatts. Ao todo serão 2.375 quilômetros de extensão de linhas.

A Aneel informou acreditar que a alteração de data não vai comprometer a entrega da obra, que deve durar entre 36 e 50 meses. A data para assinatura dos contratos foi mantida em janeiro de 2009.

(Por Denise Luna; Edição de Marcelo Teixeira)