Vice-presidente chinês deixa partido e influência de Hu aumenta

domingo, 21 de outubro de 2007 11:36 BRST
 

Por Chris Buckley

PEQUIM (Reuters) - O vice-presidente chinês Zeng Qingbong deixou o primeiro escalão do Partido Comunista no domingo, aumentando o poder do chefe do partido Hu Jintao e abrindo caminho para uma geração mais jovem de potenciais sucessores.

Zeng, 68, um poderoso chefe de organização do partido promovido pelo antecessor de Hu, Jiang Zemin, foi deixado de fora do recém-eleito Comitê Central do Partido Comunista de 204 membros, informou a agência de notícias Xinhua.

Sua saída, a entrada de um grande número de novos membros no Comitê Central e mudanças no estatuto do partido mostram a crescente influência de Hu no momento em que ele se lança para mais cinco anos no comando da quarta maior economia do mundo.

"Hu tem o poder, agora depende dele decidir como usá-lo e o que ele quer fazer", disse Li Datong, ex-editor do jornal do partido que agora escreve análises políticas.

Hu também foi quem mais recebeu votos na eleição do Comitê Central, perdendo somente duas das 2.235 votações, segundo um delegado.

A saída de Zeng do Comitê além da de dois outros líderes --o chefe de segurança Luo Gan, 72, e o chefe anti-corrupção Wu Guanzheng, 69, indicam que Hu poderá anunciar potenciais sucessores logo após o término do Congresso do partido.

A vice-premiê Wu Yi, uma das poucas mulheres a ocupar um posto na elite política chinesa, também saiu do Comitê, o que indica que ela deve deixar o governo até março, quando o Parlamento do país se reunirá.

Mas Jia Qinglin, 67, aliado de longa data de Jiang, permaneceu no Comitê.

Os membros do novo Comitê indicarão os integrantes do órgão político do partido, o Politburo, e o Comitê Permanente do Politburo, que corresponde ao círculo mais próximo ao poder, que será anunciado na segunda-feira.

(Colaboraram Guo Shipeng, Vivi Lin, Ben Blanchard, Lindsay Beck, Lucy Hornby, Emma Graham-Harrison, Jason Subler, Benjamin Kang Lim e Li Jiansheng)