Para Lula, integração sul-americana depende de "gesto" do Brasil

segunda-feira, 21 de julho de 2008 08:48 BRT
 

SÃO PAULO, 21 de julho (Reuters) - A integração da América do Sul depende de "um gesto do Brasil", disse o presidente Luiz Inácio Lula da Silva depois de retornar de uma viagem para a Colômbia e a Bolívia, onde assinou acordos de cooperação com países da região.

Em seu programa de rádio semanal nesta segunda-feira, Lula defendeu que o Brasil tem de "assumir definitivamente a responsabilidade" pela integração entre os países da América do Sul.

"O Brasil é a maior economia, é o país mais industrializado, e a economia mais forte, é o maior PIB. Portanto, o Brasil precisa ter consciência de que a integração da América do Sul depende do gesto do Brasil", disse Lula no programa de rádio Café com o Presidente.

"A um país como o Brasil não interessa ser apenas um país grande, economicamente forte, com um monte de gente pobre do seu lado. É preciso que todos cresçam, que todos tenham condições de se desenvolver."

Lula afirmou ainda que a integração entre os países sul-americanos "é uma realidade" e comemorou a decisão do governo colombiano, anunciada no sábado, de ingressar no Conselho de Defesa Sul-Americano, proposto pelo Brasil.

O presidente destacou ainda que seu governo tem atuado para unir as diversas correntes políticas existentes na região, e lembrou que em sua viagem reuniu-se tanto com os presidentes Alvaro Uribe, da Colômbia, e Alan Garcia, do Peru, quanto com Hugo Chávez, da Venezuela, e Evo Morales, da Bolívia.

"Você tem uma fotografia de um lado de governantes considerados de esquerda, do outro lado de governantes considerados de centro", disse.

"Qual é o papel do Brasil? É ser a espécie da ponte, que faz a ligação entre todas as correntes políticas da América do Sul."

(Texto de Eduardo Simões; Edição de Renato Andrade)