JURO-Estresse global provoca alta de taxas, com volume encorpado

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008 16:26 BRST
 

SÃO PAULO, 21 de janeiro (Reuters) - As projeções de juros avançaram com força na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) nesta segunda-feira de volume reforçado de negócios, diante do estresse global imposto pela perspectiva de recessão nos Estados Unidos.

O movimento não alterou as previsões de manutenção da Selic em 11,25 por cento ao ano na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) nesta semana. Mas a curva de juros embute a possibilidade de aumento da taxa básica ao longo de 2008.

A reunião do Copom termina nesta quarta-feira e a do Federal Reserve, no dia 30.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2009 subiu de 11,92 para 12,04 por cento ao ano. O DI janeiro de 2010 avançou de 12,75 para 12,99 por cento --depois de chegar a 13,10 por cento na máxima do dia.

No exterior, os temores de recessão nos EUA e de mais perdas contábeis de grandes bancos com hipotecas de alto risco derrubou os principais mercados. Internamente pesou também sobre os negócios um novo aumento nas previsões de inflação.

O relatório Focus apresentado pelo Banco Central nesta manhã mostrou que os investidores elevaram de 4,29 para 4,37 por cento a estimativa para o IPCA do ano.

Entre as instituições consideradas Top 5, com maior índice de acerto, a projeção já supera o centro da meta e está em 4,59 por cento.

No mercado aberto, o Banco Central recolheu 27,07 bilhões de reais por três dias, a 11,20 por cento ao ano.

(Por Daniela Machado; Edição de Cesar Bianconi)