Lula promete manter tratado de Itaipu apesar de vitória de Lugo

segunda-feira, 21 de abril de 2008 12:21 BRT
 

Por Maurício Savarese

SÃO PAULO, 21 de abril (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que a vitória do ex-bispo Fernando Lugo nas eleições presidenciais do Paraguai não mudará o tratado da usina hidrelétrica de Itaipu, construída pelos dois países.

Ao longo de sua campanha, Lugo se comprometeu a renegociar o tratado da usina binacional, erguida há mais de três décadas, quando regimes militares dominavam Brasil e Paraguai. O acordo estabelece que cada um é dono de metade da energia produzida (média de 92 mil gigawatts-hora por ano), e que os paraguaios devem vender o seu excedente aos brasileiros.

"Nós temos um tratado, e o tratado vai se manter", disse Lula a jornalistas após participar de uma reunião da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad), realizada na capital de Gana, Acra. A transcrição da entrevista foi divulgada pelo Palácio do Planalto.

O presidente, no entanto, deixou espaço para conversar sobre o assunto com Lugo, que deu fim ao domínio de 61 anos do Partido Colorado no país.

"Não muda o tratado. O Brasil tem constantes reuniões com o Paraguai. Eu, nesses cinco anos de governo, tive acho que umas 20 reuniões com o Paraguai, sobre vários temas, não é apenas a questão de Itaipu... Temos muito, muito, muito para continuar conversando com o Paraguai. E vamos conversar."

Os assessores de Lugo afirmam que a energia de Itaipu deveria ter um preço bem mais elevado que o atual, e que o dinheiro arrecadado poderia financiar obras sociais e de infra-estrutura no Paraguai.

O governo brasileiro tem dito que o valor calculado no tratado é correto porque garante à usina o cumprimento de seus compromissos financeiros. A central acumula dívida de quase 19 bilhões de dólares com a estatal brasileira Eletrobrás, que vence em 2023.

De acordo com dados do lado brasileiro de Itaipu, o custo da energia vendida pelo Paraguai ao Brasil é de 45,31 dólares por mega-watts. A hidrelétrica gera cerca de 20 por cento da energia consumida no Brasil, a maior parte nas regiões Sul e Sudeste.   Continuação...