Polícia investiga mozarela italiana contaminada com dioxina

sexta-feira, 21 de março de 2008 13:49 BRT
 

ROMA (Reuters) - Fabricantes da melhor mozarela da Itália tentam nesta sexta-feira salvar a reputação de seu queijo depois que a polícia descobriu que parte dele estava sendo feito com leite contaminado com uma dioxina que causa câncer.

A polícia perto de Nápoles está investigando se o alimento dado aos búfalo, que produzem o melhor leite para mozarela, foi envenenado possivelmente por criminosos envolvidos em despejo ilegal de lixo.

O escândalo é o mais recente golpe ao queijo considerado pelo público como um produto fresco e natural.

As vendas de mozarela de bufála caíram 40 por cento em janeiro por causa do temor sobre a saúde quando Nápoles e a região da Campania foram inundadas por lixo doméstico quando um sistema de tratamento de resíduos foi interrompido.

Em uma tentativa de impedir mais danos, a associação dos produtores de mozarela de búfala publicou anúncios de página inteira em jornais italianos nesta sexta-feira para dizer que nenhum de seus membros está sendo investigado.

A associação de agricultores Coldiretti informou que a contaminação somente afetou uma pequena parte dos produtores de mozarela.

"Precisamos o mais rápido possível separar a maça podre do resto para que possamos defender o que é uma das marcas mais representativas da Itália: a mozarela de búfala", disse a associação, que promete cooperar com a investigação.

A máfia de Nápoles, conhecida como Camorra, esta largamente envolvida em destinação de lixo, particularmente em despejo e queima de lixo industrial na região rural de Campania, afirma a polícia.

A prática causou contaminação da água, solo e ar, que cientistas vincularam a casos maiores de alguns tipos de câncer em partes da região. Apenas 16 por cento da produção anual de 33 mil toneladas de mozarela de búfala da Itália é exportada. O produto é uma das principais fontes de geração de emprego em uma das regiões mais atrasadas do país.

(Por Robin Pomeroy)