CPI dos cartões é criada e oposição ameaça não fazer indicações

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 16:00 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Congresso, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), leu nesta quinta-feira o requerimento que cria a CPI mista que vai investigar durante 90 dias os gastos com os cartões corporativos do governo.

Agora, os líderes de cada partido têm que fazer suas indicações para a instalação da CPI, que será integrada por 11 deputados e 11 senadores.

A oposição ameaça não indicar ninguém em protesto contra o controle do comando da CPI pelo governo. O PMDB indicou o senador Neuto do Couto (SC) para a presidência, e o PT sugeriu o deputado Luiz Sérgio (RJ) para a relatoria.

"Se eles não indicarem, nós indicaremos", disse Garibaldi Alves, que espera ver a CPI instalada na próxima semana.

Entre os parlamentares, se cogitou a hipótese de o PMDB abrir mão da presidência para o PSDB, acalmando a oposição e enterrando uma segunda CPI, que os oposicionistas protocolaram no Senado.

"Até o momento não (existe essa hipótese), porque o Neuto de Conto tomou gosto. Mas vamos ver, na política não existem portas fechadas. Sempre há possibilidade de entendimento", disse o líder do PMDB no Senado, Valdir Raupp (RO).