RPT-Preço e crise do crédito preocupam presidente da PETROBRAS

terça-feira, 21 de outubro de 2008 07:03 BRST
 

(Repete matéria publicada na noite da véspera)

HOUSTON, 21 de outubro (Reuters) - A Petrobras pode ser obrigada a socorrer seus fornecedores menores, pressionados pela atual crise do crédito, no momento em que a estatal prepara-se para viabilizar a extração de gigantescas reservas de petróleo descobertas na costa brasileira, disse o presidente da companhia, José Sergio Gabrielli, na segunda-feira.

Falando em uma conferência sobre biocombustíveis em Houston, ele afirmou que muitas "incertezas" relacionadas à queda do preço do petróleo e ao aprofundamento de uma crise global de crédito levaram a Petrobras (PETR4.SA: Cotações) a atrasar o lançamento de seu plano estratégico de negócios por dois meses.

A revisão, que vinha sendo esperada para este mês, pode oferecer detalhes dos investimentos da Petrobras no campo de Tupi, em Santos, na camada do pré-sal, a maior reserva de petróleo já descoberta em águas profundas. A camada estende-se ao longo da costa brasileira, do Espírito Santo à Bahia, e pode conter bilhões de barris de petróleo e gás natural.

Gabrielli disse que explorar o campo de Tupi permanece sendo economicamente viável, mesmo com as recentes e acentuadas quedas do preço do petróleo para metade do nível recorde de 147 dólares o barril atingido em julho passado.

A Petrobras atrasou a entrega de seu plano estratégico para revisar os preços do petróleo e muitos outros fatores que permanecem incertos, disse Gabrielli, como os efeitos da crise sobre a demanda pelo produto por parte de países como a China e as nações africanas e "por quanto tempo".

Gabrielli disse que era necessário obter mais informações sobre as muitas iniciativas energéticas da companhia antes de decidir "aonde nós iremos".

O presidente da Petrobras afirmou também que companhias que estão fabricando equipamentos a serem utilizados na Bacia de Santos devem encontrar financiamento, apesar das condições desfavoráveis no mercado.   Continuação...