Envolvida em conflitos, América do Sul se une em novo pacto

quarta-feira, 21 de maio de 2008 19:23 BRT
 

Por Julio Villaverde

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Presidentes de 12 países consagram na sexta-feira, em Brasília, a criação da maior instância política e de integração da América do Sul, em reunião de cúpula que poderá servir para limar asperezas que circundam as relações entre vários vizinhos da região.

O anfitrião Luiz Inácio Lula da Silva presidirá a assinatura do Tratado Constitutivo da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), mas a atenção estará voltada para o encontro frente a frente entre os presidentes da Colômbia, Alvaro Uribe, e da Venezuela, Hugo Chávez, protagonistas de recentes conflitos que abalaram as relações entre seus países.

A tensão diplomática se agravou desde o fim de 2007, quando Uribe encerrou a intermediação de Chávez para que os rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertassem alguns de seus reféns.

A crise alcançou seu auge depois que a Colômbia atacou guerrilheiros das Farc em território equatoriano, matando um de seus dirigentes.

Brasília poderá registrar o início de uma aproximação entre Uribe e Chávez, que trocaram duras acusações, e também entre o presidente colombiano e o equatoriano, Rafael Correa, amigo de Chávez.

"Os presidentes terão um diálogo privado e podem falar do que considerem conveniente. Esse tema pode ser levantado pelos presidentes, mas não está na agenda", disse um porta-voz da chancelaria brasileira.

Mas essa é apenas uma possibilidade, segundo analistas, já que a crise deve seguir seus próprios caminhos em busca de uma saída.

"É uma oportunidade de um encontro, de um espaço diplomático... mas não creio que este momento seja uma oportunidade decisiva", disse à Reuters Alcides Costa Vaz, professor de relações internacionais da Universidade de Brasília.   Continuação...