Meirelles diz que fundo soberano não afetará reservas

segunda-feira, 22 de outubro de 2007 18:57 BRST
 

Por Walter Brandimarte

WASHINGTON (Reuters) - O Brasil vai usar recursos adicionais para criar seu fundo soberano de investimentos, sem reduzir, portanto, o atual volume das reservas internacionais, que superam os 164 bilhões de dólares, afirmou o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, nesta segunda-feira.

"As reservas internacionais estão lá e devem crescer ainda mais. Recursos adicionais serão alocados para o fundo", disse Meirelles a jornalistas em Washington.

Meirelles negou divergências com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, sobre a fonte de financiamento do novo fundo, que será administrado pela Fazendo e pelo BC.

"O que estamos discutindo agora é qual será o melhor mecanismo para captalizar o fundo. Ele pode obter recursos diretamente do mercado ou o banco central pode comprar (esses dólares) para o fundo", acrescentou.

"Mas isso são detalhes técnicos, que não envolvem o fundamento do que estamos dizendo, de que as reservas serão administradas segundo critérios de liquidez internacional e o fundo será admnistrado com uma finalidade estratégica."

Esses fundos servem para vários propósitos em diferentes países, mas normalmente são utilizados para investir os atuais superávits para as gerações futuras ou para gerar retornos mais altos.

O crescente papel desses fundos está chamando a atenção das autoridades, que discutiram o assunto na reunião do G7 --grupo dos sete países mais industrializados-- deste final de semana.

Meirelles disse que a idéia de começar um fundo com um capital de 10 bilhões de dólares --como disse Mantega no domingo-- é boa, mas ainda não foi fechada.   Continuação...