Brasil pode ter oferta apertada de álcool no início de 2008

segunda-feira, 22 de outubro de 2007 19:21 BRST
 

Por Inaê Riveras

SÃO PAULO, 22 de outubro (Reuters) - O Brasil pode ter problemas na oferta de álcool no início de 2008 se os preços do combustível não subirem para reduzir a forte demanda atual, disseram especialistas nesta segunda-feira.

O consumo local de álcool deverá atingir um volume recorde neste ano devido aos preços menores em relação aos da gasolina e ao aumento da frota de veículos flex.

"O Brasil bate recorde de produção e consumo, e depois tem crise de abastecimento, não por oferta mas por preço, por falha de comercialização", disse Antônio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), durante seminário promovido pela consultoria Datagro.

Analistas dizem que os preços do álcool estão abaixo do custo de produção desde junho, em cerca de 580-590 reais por metro cúbico. O custo de produção atual é estimado em 670-720 reais no centro-sul.

"A safra (equilíbrio entre oferta e demanda) só vai fechar se tiver aumento de preço, de 25 a 30 por cento a partir da segunda quinzena de novembro, e ele ficar neste nível", afirmou Plinio Nastari, presidente da Datagro.

A consultoria estima um estoque de apenas 254 milhões de litros no pico da entressafra, em maio de 2008, volume equivalente a cinco dias de consumo.

O número é cerca de 100 milhões de litros acima do verificado em igual período do ano passado, mas a demanda era bem menor então.

Atualmente, o consumo local está próximo de 1,3 bilhão de litros por mês e Nastari acredita que pode atingir 1,5 ou 1,6 bilhão de litros em dezembro ou janeiro de 2008.   Continuação...