Ações sobem com plano para crise; dúvidas permanecem

segunda-feira, 22 de setembro de 2008 08:03 BRT
 

Por Kevin Plumberg

HONG KONG (Reuters) - As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta segunda-feira, depois que mais detalhes sobre o plano de 700 bilhões de dólares proposto pelo governo norte-americano para solução da crise financeira encorajaram a busca por barganhas. Apesar disso, dúvidas permaneceram sobre as implicações de longo prazo e a perspectiva econômica.

O desejo dos investidores de arriscar mais para obter retornos mais altos lentamente retornou, depois de notícias sobre o que parece ser o maior resgate financeiro da história norte-americana surgiram na sexta-feira, fechando uma semana histórica na qual o Lehman Brothers entrou com pedido de proteção contra falência, Washington resgatou a seguradora American International Group e o Bank of America comprou o Merrill Lynch .

Muitos aspectos do plano ainda devem ser trabalhados e tensões já começaram a se fazer sentir. Entretanto, analistas e investidores miraram para além dos dias de maciças baixas contábeis e focaram mais em onde virá o crescimento.

"O plano de 700 bilhões de dólares deve abrandar o sangramento. Entretanto, a situação do paciente ainda é frágil", disse Thomas Lam, economista sênior do United Overseas Bank, em Cingapura. "Essencialmente, o foco, eu acredito, deve mudar em alguma extensão do estado dos ativos sem liquidez para os fundamentos da economia dos Estados Unidos e disponibilidade de capital."

O índice Nikkei, da bolsa de TÓQUIO, fechou com alta de 1,4 por cento, depois de ter atingido o nível mais baixo na última semana. O índice se recuperou em cerca de 7 por cento em dois dias.

Fora do Japão, as bolsas na região Ásia-Pacífico também avançaram, recuperando-se mais em relação ao patamar mais baixo em dois anos registrado na quinta-feira. O indicador MSCI que reúne os principais mercados da região exceto o Japão subia 2,82 por cento às 7h52 (horário de Brasília).

Em quatro semanas até 18 de setembro, em meio ao pânico por todo o mundo em relação à estabilidade do sistema financeiro, o índice foi negociado a 10,1 vezes as previsões de lucro para 2009, a avaliação mais baixa para um ano ainda por vir desde março de 2003, de acordo com o Thomson One.

O principal índice de ações da China, o Xangai composite, subiu 7,8 por cento, depois que investidores voltaram a agir no mercado de pior desempenho no mundo até agora este ano.   Continuação...