CÂMBIO-Dólar aproveita trégua no exterior e recua após tensão

quinta-feira, 22 de novembro de 2007 10:39 BRST
 

SÃO PAULO, 22 de novembro (Reuters) - O dólar operava em baixa nesta quinta-feira, aproveitando o feriado nos Estados Unidos para devolver parte da alta acumulada em meio ao nervosismo nos mercados com a crise global de crédito e a possiblidade de recessão nos Estados Unidos.

Às 10h39, a moeda norte-americana BRBY era cotada a 1,770 real, em baixa de 0,45 por cento.

O Dia de Ação de Graças fechou Wall Street e permitiu que o mercado de câmbio respirasse após várias sessões de tensão global. A preocupação em todo o mundo é com o prejuízo dos bancos por causa das hipotecas de alto risco (subprime) e com as pressões sobre a economia norte-americana por causa da alta do petróleo e da redução dos gastos dos consumidores.

"O mercado vai dar uma freada nos negócios em virtude do feriado lá fora", disse Júlio César Vogeler, operador de câmbio da corretora Didier Levy. "Quer dizer, o mercado fica um pouco sem parâmetro... Vai trabalhar ao sabor do fluxo".

Segundo o operador, o cenário mais tranquilo abre espaço para que o dólar caia após várias altas seguidas. No mês, o dólar tem valorização de cerca de 2 por cento.

"Mas sempre com aquela cautela. O pessoal está meio reticente", ponderou.

Na véspera, com o aumento generalizado da aversão ao risco no exterior, os investidores estrangeiros elevaram em 1,5 bilhão de dólares a ponta comprada no mercado futuro de câmbio. Com as compras futuras, eles aumentaram a proteção contra uma eventual alta da moeda norte-americana mesmo que efetivamente não retirem dólares do país no mercado à vista.

Segundo Gerson de Nobrega, gerente da tesouraria do Banco Alfa de Investimento, "na hora de uma decisão rápida... os estrangeiros acabam optando pelo mercado futuro de dólar" para realizar ajustes. O movimento sustentou a alta da moeda no mercado à vista em mais de 1 por cento na véspera.

A posição global dos estrangeiros no mercado futuro de câmbio, no entanto, ainda aposta na queda do dólar. Somando os mercados de dólar futuro e de cupom cambial, a posição vendida total dos estrangeiros é de mais de 4 bilhões de dólares.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Renato Andrade)