CÂMBIO-Dólar acompanha pessimismo externo e opera em alta

segunda-feira, 22 de outubro de 2007 10:37 BRST
 

SÃO PAULO, 22 de outubro (Reuters) - O aumento do pessimismo no exterior repercutia sobre o mercado de câmbio nesta segunda-feira, e o dólar começava a semana em forte alta, acima de 1,80 real.

Às 10h32, a moeda norte-americana BRBY subia 1,50 por cento, para 1,831 real. Na máxima do dia, o dólar chegou a registrar valorização de 2,16 por cento.

O mau humor nos mercados globais se intensificou na sexta-feira, quando a Caterpillar (CAT.N: Cotações), maior fabricante mundial de equipamentos de construção e mineração, alertou para os efeitos negativos da crise imobiliária sobre a economia norte-americana.

A fala deixou o mercado preocupado com uma possível recessão, e derrubou as bolsas de valores em Nova York no final da semana. Nesta segunda-feira, os índices futuros em Wall Street indicavam que o mercado abriria novamente em queda.

"A fase crítica (da recente crise de crédito no exterior), o olho do furacão, já passou. Mas ele fez estrago. E a gente está contabilizando, conhecendo agora, o real estrago", disse Marcos Forgione, analista da Hencorp Commcor Corretora, em referência aos relatórios trimestrais de empresas norte-americanas, como o divulgado na sexta-feira pela Caterpillar.

A alta do dólar, inclusive, provoca dúvidas quanto à atuação do Banco Central. Para Forgione, a autoridade monetária pode interromper as atuações diárias recentes e deixar de comprar dólares no mercado.

"É difícil saber, mas acho que se (o mercado se) estressar demais ele não tem porque entrar... Ele não está entrando no mercado à vista para conter a queda do dólar", comentou Forgione.

O BC, porém, já promovou leilões de compra de dólares em dias de forte turbulência, como em 26 de julho, quando a moeda norte-americana disparou mais de 3 por cento em meio ao agravamento da crise de crédito nos mercados globais.