DAVOS-Confiança dos CEOs cai pela primeira vez em 5 anos

terça-feira, 22 de janeiro de 2008 17:09 BRST
 

Por Ben Hirschler

DAVOS, Suíça, 22 de janeiro (Reuters) - A confiança dos líderes das principais empresas do mundo caiu pela primeira vez em cinco anos, com o espectro de uma recessão global tornando-se o único grande fator a atormentar o sono dos executivos.

Isso reforça o clima sombrio no Fórum Econômico Mundial, realizado nesta semana em Davos. O encontro será dominado pelos efeitos da crise global de crédito e pela ameaça que ela representa para a economia geral.

A melancolia é mais forte na América do Norte, onde apenas 35 por cento dos presidentes-executivos estão "muito confiantes" de que as receitas crescerão nos próximos 12 meses. Há um ano, 53 por cento tinham essa convicção.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira em pesquisa da PricewaterhouseCoopers (PwC).

Os CEOs da Europa Ocidental também estão pessimistas, com nível de confiança em 44 por cento, ante 52 por cento há um ano.

Mas o pessimismo não é universal.

Muitos diretores de companhias de países emergentes estão mais otimistas com as projeções, particularmente na China e na Índia, onde as taxas de confiança cresceram para 73 e 90 por cento, respectivamente.

"É uma história de dois mundos. Você teve uma clara erosão da confiança na maior parte do mundo desenvolvido, e um nível muito alto de confiança nas economias emergentes", disse à Reuters Samuel DiPiazza, presidente-executivo da PwC.

No passado, os CEOs reiteradamente colocaram a regulação como o principal risco para seus negócios. Mas, pela primeira vez nos 11 anos de pesquisa, o medo de recessão assombra mais.

Outras questões foram colocadas de lado, com as mudanças climáticas classificadas como preocupação por apenas 34 por cento dos consultados e a apreensão com normas regulatórias, como a lei Sarbanes-Oxley nos Estados Unidos, também diminuindo.