Petróleo tem leve queda, mas segue próximo aos US$97 por barril

quinta-feira, 22 de novembro de 2007 14:55 BRST
 

Por Raissa Kasolowsky

LONDRES, 22 de novembro (Reuters) - O preço do petróleo no mercado internacional continuava sendo negociado próximo ao patamar de 97 dólares o barril nesta quinta-feira, depois de ter chegado bem perto dos 100 dólares na sessão anterior, à medida em que o dólar renovava seus recordes de baixa frente a outras moedas.

Às 14h46 (horário de Brasília), o contrato do petróleo norte-americano para janeiro CLc1 caía 0,41 dólar, para 96,88 dólares por barril, um dia depois de ter alcançado a máxima histórica de 99,29 dólares. Apesar do recorde, o contrato encerrou as negociações de quarta-feira em baixa de 0,74 dólar.

O pregão da Nymex não opera nesta quinta-feira por conta do feriado do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, mas o mercado eletrônico (Globex) continua registrando operações normalmente.

Em Londres, o contrato do tipo Brent LCOc1 perdia 0,21 dólar, cotado a 94,63 dólares.

"Por causa do feriado do Dia de Ação de Graças (nos EUA), o petróleo ficará provavelmente calmo", disse Simon Wardell, analista da Global Insight.

Os preços do petróleo têm subido nos últimos meses, por conta da desvalorização do dólar, em meio a uma febre de negociações especulativas e preocupações com aperto nos estoques antes do inverno no Hemisfério Norte.

O dólar atingiu uma depreciação recorde contra o euro e uma cesta de moedas nesta quinta-feira, à medida que o mercado antecipava que o Federal Reserve fará um corte na taxa básica de juro no próximo mês.

O governo registrou uma queda maior do que a esperada de 2,4 milhões de barris nas reservas de derivados, que incluem óleo de aquecimento e diesel, antes do rígido inverno no nordeste dos EUA.

Contudo, o estoque de petróleo em Oklahoma, ponto de entrega física de alguns contratos futuros norte-americanos, subiu 1,2 milhão de barris na última semana, para 14,6 milhões de barris, o que ofuscou a queda registrada nos estoques gerais do país.

"O aumento das reservas neste ponto-chave de entrega física do contrato de petróleo bruto da Nymex obviamente pegou o mercado desprevenido, o que fez com que o preço voltasse", afirmou a First Energy Capital em comunicado diário ao mercado.