Mares Guia comunica saída a Lula; José Múcio é chamado

quinta-feira, 22 de novembro de 2007 18:48 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, estava reunido com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no final da tarde desta quinta-feira para apresentar seu pedido de afastamento do cargo. O líder do governo na Câmara, deputado José Múcio Monteiro (PTB-PE) foi chamado ao Planalto e deverá ser o seu substituto.

O afastamento de Mares Guia se deve à denúncia do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, por seu suposto envolvimento no chamado mensalão mineiro, uso de caixa 2 na campanha para a reeleição do então governador, e hoje senador, de Minas Gerais, Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998.

Na carta que entregou a Lula, Mares Guia, alega que precisa se defender da acusação, que classificou de "injusta e improcedente".

"Isso ficará provado no curso do processo... Não quero, entretanto, que um assunto alheio ao seu governo cause qualquer embaraço à sua gestão e à importante agenda que Vossa Excelência tem para o país", diz trecho da carta.

O procurador-geral da República afirmou em entrevista coletiva que a denuncia é sobre o desvio de recursos públicos e sua utilização na campanha de Azeredo.

No processo de 86 páginas, Mares Guia foi denunciado como co-autor por participar "dos autos que engendraram esse esquema de desvio de dinheiro", disse o procurador.

Antonio Fernando de Souza rejeitou o termo mensalão, mas acabou admitindo semelhanças e uma diferença fundamental.

"Os indícios de uso de dinheiro público são tão claros quanto no esquema do mensalão, só que aqui, só há desvio de recursos públicos", assinalou.

(Texto de Mair Pena Neto; Edição de Alexandre Caverni)