FHC vê autoritarismo no terceiro mandato; para Serra, não vinga

quinta-feira, 22 de novembro de 2007 21:15 BRST
 

Por Carmen Munari

BRASÍLIA (Reuters) - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso classificou como autoritária a articulação de um suposto terceiro mandato para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Não aceitamos nenhuma alteração que leve a qualquer idéia de continuísmo. E quem diz isso apoiou a reeleição, foi candidato e se reelegeu", disse Fernando Henrique nesta quinta-feira, em discurso no Congresso Nacional do PSDB, em Brasília.

O instrumento da reeleição foi aprovado em 1997 e possibilitou um novo mandato ao ex-presidente e também ao presidente Lula. Já o tema de um terceiro mandato passou a ser discutido entre deputados do PT e de partidos aliados ao governo.

Fernando Henrique justificou a reeleição explicando que o mandato de presidente foi reduzido de cinco para quatro anos e, como um complemento, foi aprovado depois o segundo mandato.

"Hoje temos um sistema eleitoral com regras definidas. Não há mais razão para que se discuta a questão de um enésimo mandato", criticou.

Ele ressalvou que não afirma que o presidente Lula está indo por este caminho, "mas estou dizendo que existe este risco".

"Espero até que o presidente Lula dê mais clareza ao que disse até agora, que diga: "Sou contra", cobrou, citando a defesa de Lula em relação aos sucessivos mandatos do presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

Lula já se manifestou mais de uma vez de forma contrária ao terceiro mandato e desautorizou o PT a atuar neste sentido.   Continuação...