22 de Julho de 2008 / às 22:20 / 9 anos atrás

"Lista suja" da AMB tem 15 candidatos; Maluf e Marta reagem

SÃO PAULO (Reuters) - A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) divulgou nesta terça-feira em seu site a lista de candidatos a prefeito e a vice-prefeito das capitais que respondem a processo criminal ou eleitoral. O candidato com maior número de processos é o deputado federal Paulo Maluf (PP), que concorre a prefeito em São Paulo.

Das 26 capitais onde haverá a eleição, 9 candidatos a prefeito e 6 a vice têm "ficha suja" na Justiça.

De acordo com o levantamento da AMB, Maluf responde a um total de sete processos que incluem crimes de responsabilidade, crime contra o sistema financeiro e de improbidade.

A vice em sua chapa, Aline Corrêa de Oliveira (PP), também tem uma ação em seu nome, por crimes contra a paz pública, quadrilha, falsificação de documento e de ocultação de bens.

Também a ex-ministra Marta Suplicy (PT), que disputa a prefeitura de São Paulo, tem ação ligada à Lei de Licitações.

O ex-governador Amazonino Mendes, candidato a prefeito de Manaus (AM), responde a processo penal enquadrado na Lei de Licitações e em crime contra o sistema financeiro e a ordem tributária.

"A intenção da AMB é facilitar o acesso da população e da imprensa a informações públicas, que podem balizar e fundamentar a escolha dos eleitores e contribuir para que as eleições de 2008 transcorram da maneira mais transparente possível", diz a associação no portal www.amb.com.br.

Para produzir a lista, a AMB consultou Tribunais de Justiça, Tribunais Federais, o Superior Tribunal de Justiça, o Supremo Tribunal Federal, além dos tribunais eleitorais. Os dados continuarão a ser atualizados.

O Tribunal Superior Eleitoral, órgão oficial que regulamenta e fiscaliza as eleições, decidiu em junho permitir a candidatura de políticos que respondem a processos judiciais, desde que não haja condenação definitiva sobre eles. Por essa determinação, políticos sobre quem pesam acusações que tramitam nos tribunais podem concorrer às eleições.

A AMB não apontou candidatos com processos judiciais em Rio Branco (AC), Maceió (AL), Salvador (BA), Vitória (ES), São Luís (MA), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Campina Grande (PB), Recife (PE), Teresina (PI), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), Natal (RN), Florianópolis (SC), Aracaju (SE).

MALUF E MARTA

Em nota à imprensa, Maluf criticou os juízes por divulgarem a lista. "As acusações nesses processos não têm base legal, jurídica ou administrativa. O Estado de Direito seria melhor conduzido sem politização dos juízes. Juízes não devem se meter em política. Juiz só fala nos autos", disse Maluf. Para Marta, a decisão da AMB de divulgar a lista é "arbitrária, tendenciosa e leviana". Ela afirmou que estuda medidas judiciais contra os responsáveis.

"A lista, que transgride os preceitos mínimos da ética e do direito, faz referência a uma ação movida por oposicionistas contra a então prefeita, ainda sem julgamento em qualquer instância, e na qual Marta Suplicy já obteve uma liminar favorável do Tribunal de Justiça de São Paulo", afirma o texto enviado pela coligação Uma Nova Atitude para São Paulo.

Reportagem de Carmen Munari; Edição de Fabio Murakawa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below