Euforia com plano dos EUA perde força e Bovespa cai 2,86%

segunda-feira, 22 de setembro de 2008 18:04 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A euforia com o plano do governo dos Estados Unidos para enfrentar a crise financeira do país perdeu força na volta do final de semana, provocando forte correção nos mercados acionários, movimento que fez a Bolsa de Valores de São Paulo fechar mais uma vez no negativo.

O Ibovespa ainda resistiu durante a maior parte do pregão, mas acabou sendo arrastada no final do dia, à medida que os índices de Wall Street intensificavam as perdas, e caiu 2,86 por cento, aos 51.540 pontos.

O giro financeiro do pregão totalizou 5,35 bilhões de reais.

Embora ainda nem tenha sido apreciado por congressistas norte-americanos, o pacote de socorro estimado pelo Tesouro em 700 bilhões de dólares passava a ser encarado com menos otimismo que nas últimas duas sessões.

"O pacote tende a melhorar as condições do mercado, mas ainda há bastante incertezas sobre o próprio plano. E pode ser que os congressistas atrasem a aprovação da proposta, o que pode causar mais turbulência no curto prazo", disse Kelly Trentin, analista da corretora SLW.

O desdobramento desse cenário de maior indefinição se traduziu na retomada de uma dinâmica conhecida dos mercados nos últimos meses: queda do dólar frente a outras moedas, escalada dos preços de commodities --o barril do petróleo deu um salto de 15 por cento, para a casa dos 120 dólares-- e, claro, queda nos mercados de ações.

Os principais índices das bolsas de valores de Nova York desabaram entre 3 e 4 por cento, puxadas pelo setor financeiro.

Em parceria com os papéis de empresas ligadas a metais, o segmento financeiro também pesou sobre a Bovespa. Em destaque, Redecard despencou 6,8 por cento, a 24,70 reais, seguida por BM&F Bovespa, recuando 4,95 por cento, para 8,65 reais.   Continuação...