ATUALIZA-USIMINAS vê espaço para captação e preço estável do aço

quarta-feira, 22 de outubro de 2008 12:32 BRST
 

(Acrescenta mais informações e declarações)

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 22 de outubro (Reuters) - Responsável por 40 por cento do aço plano consumido no Brasil, a Usiminas (USIM5.SA: Cotações) passou a analistas e investidores nesta quarta-feira uma visão otimista para a a empresa nos próximos anos, apesar da crise financeira internacional.

De acordo com o diretor de Finanças e Relações com Investidores, Paulo Marques, o recém lançado plano de expansão da companhia de 14,1 bilhões de dólares, após anos sem investimentos relevantes, não será alterado. A captação prevista de 6 bilhões de dólares no mercado não encontrará dificuldade, afirmou Marques.

"Mesmo em um ano difícil a empresa tem acesso ao mercado para tocar os investimentos. Já temos operações no forno para tocar com tranquilidade o nosso programa", afirmou Marques durante reunião da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec/RJ).

"Se a crise se agravar, o que acredito não vai acontecer, a gente tem tranquilidade de adiar alguns projetos, jogar um pouco mais para frente", complementou.

Ele destacou que a Usiminas sempre foi criticada por não ser agressiva, mas que nesse momento a empresa não tem investimentos em derivativos nem hedges cambiais ou operações de Adiantamento sobre Contrato de Câmbio (ACC), instrumentos que estão punindo algumas empresas na crise.

Segundo Marques, do total dos investimentos, 1,5 bilhão de dólares virá do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. O restante poderá ser obtido com os fornecedores de equipamentos, como ocorreu recentemente com o banco de fomento japonês JBIC. A japonesa Nippon Steel tem cerca de 13 por cento do capital total da Usiminas.   Continuação...