iPhone chega à América Latina sem grande excitação

sexta-feira, 22 de agosto de 2008 16:43 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O iPhone, mais recente e cobiçado produto de consumo da Apple, foi lançado nesta sexta-feira em 10 países da América Latina, onde milhões de fanáticos o esperavam mas sem a mesma excitação que se viu nos Estados Unidos e Europa.

A Claro, controlada pela mexicana América Móvil e que também atua no Brasil, assim como a Movistar, da espanhola Telefónica, esperam impulsionar o número de clientes com o novo aparelho, que tem conquistado adeptos com sua tela sensível ao toque, reprodutor de música iPod embutido e acesso à Internet sem fio.

O iPhone 3G da Apple foi lançado pela Claro em Argentina, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, Paraguai, Peru e Uruguai, enquanto a Movistar também lançou o modelo em alguns desses países.

No Brasil, a agência reguladora Anatel homologou o primeiro iPhone no dia 13 de agosto, a pedido da própria Apple, e as operadoras Claro e Vivo esperam começar a vendê-lo até o final deste ano.

Em Santiago, a venda começou à meia-noite e, apesar das baixas temperaturas, dezenas de pessoas esperavam na fila.

A Movistar informou que em duas horas vendeu algo como 500 equipamentos no Chile em seus três pontos de venda habilitados no país. A Claro preferiu manter reserva sobre os números.

As duas operadoras classificaram, entretanto, o início da comercialização do iPhone como "um êxito".

"Finalmente tenho um iPhone", disse à Reuters o consumidor Federico, enquanto mostrava seu novo telefone inteligente. "Agora tenho de ver como vou pagá-lo, mas estou feliz."

Os preços mais baratos do iPhone na região são mais que o dobro do preço praticado nos EUA, e muitos dos mais fanáticos já haviam apelado para unidades "desbloqueadas" a preços mais baixos para poder usar o modelo em suas regiões.

(Reportagem de César Illiano)