Governo admite "concessão técnica" para aprovar CPMF

segunda-feira, 22 de outubro de 2007 16:32 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O governo avalia que consegue aprovar a prorrogação da CPMF até 2011 esse ano, mas que a negociação passa pela concessão técnica, afirmou uma fonte presente à reunião da coordenação política, que mais uma vez contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo a fonte, os participantes não detalharam que concessão pode ser feita, mas reconheceram que sem negociação não conseguem a extensão do imposto. O objetivo do governo é manter a proposta de emenda constitucional do jeito como foi aprovada na Câmara, com alíquota de 0,38 por cento, deixando as concessões tributárias para depois.

Na semana passada, o ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, também presente à reunião desta segunda-feira, falou em desoneração da folha de pagamento. Também está sendo considerada pelo governo a redução futura da alíquota da CPMF e a isenção da cobrança para determinadas faixas salariais.

O vice-presidente José Alencar fez um relato de sua visita semana passada ao Senado, e a avaliação é de que é preciso intensificar as negociações. Segundo a fonte do Planalto, não existe porta fechada e tudo vai depender do andamento das negociações.

O presidente Lula convocou os 100 maiores empresários do país para conversar sobre conjuntura e futuro na quarta-feira. A CPMF deve entrar na conversa, na qual Lula vai ouvir os empresário e pedir que confiem e invistam no país.