23 de Outubro de 2007 / às 04:18 / 10 anos atrás

Bin Laden prega unidade do Iraque e admite erros

DUBAI (Reuters) - Osama bin Laden conclamou os grupos insurgentes iraquianos a se unirem, já que a divisão ajuda o inimigo, segundo gravação divulgada na segunda-feira pela TV Al Jazeera.

“O interesse da nação islâmica ultrapassa o de um grupo, o interesse da nação é mais importante que o do Estado”, disse a voz na gravação, semelhante à do militante de origem saudita.

O governo iraquiano vem citando dados que indicam uma forte redução da violência no país e dos confrontos entre grupos locais, após meses de reforço militar norte-americano

“Os mujahideen são os filhos desta nação, eles fazem coisas certas e coisas erradas”, disse Bin Laden. “Os que são acusados de violações dos mandamentos de Deus devem enfrentar julgamento.”

Ele admitiu que alguns insurgentes se envolverem em “coisas erradas” e defendeu punições para quem se envolver em crimes graves, como assassinatos.

“Aconselho nossos irmãos, particularmente aqueles na Al Qaeda onde quer que estejam, a evitar seguir fanaticamente uma pessoa ou um grupo. A força da fé é a força da ligação entre os muçulmanos, e não de uma tribo, nacionalismo ou organização”, declarou.

A Al Qaeda iraquiana é um dos principais grupos envolvidos no combate à ocupação norte-americana. Os seguidores de Bin Laden irritam alguns outros grupos e tribos sunitas por causa da sua interpretação radical do Islã e da morte indiscriminada de civis.

“Oh, meus irmãos, lideres dos grupos mujahideens, os muçulmanos estão esperando sua unidade sob uma só bandeira, que este seja o ano da unidade”, afirmou o orador, num aparente apelo por lealdade ao auto-intitulado Estado Islâmico do Iraque.

A Al Jazeera disse que a gravação se chamava “mensagem ao povo do Iraque”, e nela o orador se dirige aos “mujahideen no Iraque”, mas aparentemente não aos xiitas --considerados hereges pela Al Qaeda.

A emissora disse que o militante conclamou as tribos iraquianas a manterem sua “tradição de resistência” à ocupação, numa aparente referência à contestação ao domínio colonial britânico no século passado.

A voz que pede que “líderes acadêmicos, jihadistas e tribais trabalhem pela reconciliação entre os grupos combatentes”, e alerta os insurgentes a não infiltrarem agentes em grupos rivais, ameaçando tais agentes com punições caso sua culpa seja comprovada após ampla investigação.

Em setembro, Bin Laden emitiu três mensagens, sendo um vídeo que marcava o aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001 contra os EUA. Na ocasião, o militante afirmou que os norte-americanos só deixariam de ficar vulneráveis quando se convertessem ao Islã.

Por Inal Ersan, colaborou Firouz Sedarat

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below