PANORAMA2-Fed endurece batalha contra recessão e corta juros

terça-feira, 22 de janeiro de 2008 18:36 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 22 de janeiro (Reuters) - O agravamento da crise econômica nos Estados Unidos mexeu com os brios do Federal Reserve, que, confirmando alguns rumores, anunciou um corte extraordinário dos juros nesta terça-feira.

A redução de 0,75 ponto percentual da taxa básica, para 3,5 por cento, foi a maior em mais de 23 anos, e deu uma injeção de adrenalina nos mercados. A taxa de redesconto também foi diminuída em 0,75 ponto, para 4.0 por cento.

O principal índice das ações européias, que na véspera registraram perdas históricas em meio ao temor de uma recessão nos Estados Unidos, se recuperou para subir 1,92 por cento. No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) avançou mais de 4 por cento, após cair 6,6 por cento na segunda-feira.

O dólar no Brasil também inverteu a rota. Depois de subir 2,46 por cento no começo da semana, caiu 2,02 por cento nesta terça-feira --voltado a ser cotado abaixo de 1,80 real.

Nos Estados Unidos, as principais bolsas ainda caíam cerca de 1 por cento alguns minutos antes do fechamento. O desempenho, porém, era considerado positivo. Na segunda-feira, Wall Street permaneceu fechada por conta do feriado de Martin Luther King, e o mercado se preparava para acompanhar a tempestade da véspera, com perdas entre 3 e 5 por cento logo na abertura.

A avaliação de alguns analistas, porém, era de que a decisão do Fed teve efeito mais psicológico do que técnico. Outros temem que o Fed esteja correndo atrás dos acontecimentos --ou seja, que uma recessão já está a caminho.

"Essa é uma solução de curto prazo... O mercado precisa de mais soluções de longo prazo e mudanças na política fiscal em vez de outros cortes dos juros pelo Fed. Os investidores estão agora tratando de preservar o capital", disse John Person, presidente da nationalfutures.com, em Palm Beach, Flórida.

O BC norte-americano já havia cortado os juros nas últimas três reuniões. Nesta tarde, o mercado de juros futuros ainda esperava outra redução, de até 0,5 ponto percentual, na reunião de 29 e 30 de janeiro.   Continuação...