22 de Janeiro de 2008 / às 20:50 / em 10 anos

Juro menor nos EUA faz Bovespa ter maior alta desde março

SÃO PAULO (Reuters) - O corte extraordinário do juro nos Estados Unidos animou o mercado global e abriu espaço para a Bolsa de Valores de São Paulo fechar a terça-feira com a maior alta diária desde março.

Pelo fechamento oficial, o Ibovespa avançou 4,45 por cento, para 56.097 pontos, recuperando-se de parte do tombo de 6,6 por cento registrado na véspera.

O giro financeiro na bolsa foi de 8,1 bilhões de reais, o maior do ano.

O Federal Reserve cortou o juro básico e a taxa de redesconto numa tentativa de impulsionar a economia um dia após fortes vendas atingirem os mercados globais diante da expectativa de recessão nos EUA.

A ação, tomada uma semana antes da reunião formal do Fed, animou os mercados em todo o mundo.

As ações européias interromperam uma sequência de cinco pregões de queda. A cerca de meia hora do fechamento, o índice Dow Jones recuava 0,7 por cento em um ajuste às fortes perdas globais da segunda-feira, feriado norte-americano. A queda, no entanto, era bastante contida em comparação à abertura dos negócios.

Apesar da reação positiva dos mercados ao Fed, alguns analistas chamaram atenção para o fato de a decisão sinalizar que o quadro econômico é bem preocupante.

Para o Departamento de Economia do Santander, a reação inicial do mercado “pode ter sido apenas instintiva e pouco duradoura”.

“É provável que os mercados tenham exagerado no pânico observado na segunda-feira. No entanto, não é claro que decisões como as de hoje possam trazer a calma necessária para reavaliar o cenário que estava sobre a mesa, em termos de crescimento econômico”, acrescentou o banco em relatório.

“Com relação ao mercado brasileiro, ao aumentar o diferencial de juros, a ação do Fed seria favorável à moeda brasileira. No entanto, o comportamento futuro dos ativos brasileiros deve ser mesmo determinado pelo comportamento da aversão ao risco.”

Entre as ações de maior peso do Ibovespa, as preferenciais da Petrobras avançaram 9,76 por cento, a 72,96 reais, depois de cair 7,4 por cento na véspera.

Além do ajuste por conta do mercado melhor, os papéis da estatal foram impulsionados pelo anúncio, feito na noite de segunda-feira, da descoberta de uma grande reserva de gás e condensado na bacia de Santos.

As ações preferenciais da Vale subiram 4,09 por cento, para 43,25 reais, recuperando apenas parte das perdas do dia anterior, quando caíram 11,3 por cento também abatidas por notícias sobre negociações para a compra de uma mineradora anglo-suíça.

Por Daniela Machado

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below