ArcelorMittal negocia elevar fatia no grupo China Oriental

quinta-feira, 22 de novembro de 2007 09:24 BRST
 

HONG KONG/BRUXELAS (Reuters) - A ArcelorMittal, maior produtora de aço do mundo, disse nesta quinta-feira que está em negociação para aumentar sua participação no grupo China Oriental, o que poderia fazer da empresa a primeira estrangeira a controlar uma siderúrgica chinesa.

Um comunicado da bolsa de Hong Kong afirmou que a ArcelorMittal tinha aumentado sua participação na China Oriental de 28 para 73 por cento por uma quantia não revelada. Uma reportagem no Financial Times também mencionou a compra.

"A ArcelorMittal... confirmou hoje que está em negociação com os acionistas controladores da China Oriental acerca de cooperação futura e aumento de sua participação no grupo", afirmou a empresa em comunicado.

O Financial Times publicou que a ArcelorMittal provavelmente não tinha intenção de revelar a negociação porque queria tempo para convencer as agências reguladoras chinesas que a transação está em linha com os interesses do país.

Um porta-voz da empresa de Luxemburgo preferiu não oferecer mais detalhes sobre o comunicado ao mercado ou o artigo do Financial Times.

O porta-voz da China Oriental também preferiu não tecer mais comentários, mas afirmou que fará um comunicado na quinta ou sexta-feira.

No início do mês, a ArcelorMittal pagou 647 milhões de dólares por 28,03 por cento da China Oriental. A empresa já fechou acordos de aquisição com várias siderúrgicas chinesas, incluindo um contrato para compra de 38 por cento da Laiwu Steel Co .

O governo chinês proíbe empresas estrangeiras de controlar grandes siderúrgicas, um obstáculo que barrou a ArcelorMittal em tentativas anteriores de investir na China.

Mas a China Oriental, privatizada em 2001, está registrada nas Bermudas e, apesar de ter operações na China, ela é tecnicamente uma empresa estrangeira privada.