RPT-VALE quer construir siderúrgica no Pará de até 5 mi t

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008 07:25 BRT
 

(Repete texto publicado na noite de quinta-feira)

RIO DE JANEIRO, 22 de fevereiro (Reuters) - A Vale (VALE5.SA: Cotações) pretende construir uma usina siderúrgica com parceiros no Pará, com capacidade entre 2,5 e 5 milhões de toneladas de aço por ano.

Ao contrário dos outros projetos siderúrgicos da companhia, o parceiro estratégico ainda não está definido.

De acordo com o diretor de assuntos corporativos da Vale, Tito Martins, em entrevista ao site da companhia, a idéia de construir a usina já tem cerca de um ano e está ligada aos projetos de desenvolvimento da Vale no Estado, onde está localizada a mina de Carajás.

"A gente vem conversando com o BNDES como parceiro nessa intenção para que a Vale e BNDES iniciem um processo de montagem do projeto de uma usina siderúrgica no Pará", afirmou o diretor.

Ele explicou que, por ser uma região carente, a Vale fará o caminho inverso das outras parcerias siderúrgicas, como a da Thyssen, no Rio; do projeto da Dongkuk, no Ceará; e da Baosteel, para a Companhia Siderúrgica de Vitória, no Espírito Santo.

"Desta vez estamos adotando uma estratégia contrária àquelas que usamos nos outros projetos siderúrgicos, ou seja, de primeiro ir buscar o investidor estratégico para, a partir da discussão com ele, definir a localização geográfica e as demandas de logística e infra-estrutura necessárias", explicou.

O projeto será feito em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.   Continuação...