PERFIL-Raúl Castro, guardião da revolução cubana

domingo, 24 de fevereiro de 2008 17:31 BRT
 

Por Esteban Israel

HAVANA, 24 de fevereiro (Reuters) - O general Raúl Castro assumiu formalmente neste domingo a Presidência de Cuba, com o desafio de modernizar o sistema socialista que herdou de seu irmão Fidel e garantir a sobrevivência do regime, após a saída de cena da velha guarda.

Raúl, de 76 anos, estava há quase meio século como número dois de Fidel. No dia 19 de fevereiro, após 19 meses afastado do poder por uma doença não-revelada, o Fidel Castro anunciou que não aceitaria um novo mandato para presidente, abrindo caminho para o irmão Raúl.

A simplicidade e franqueza de Raúl ao abordar os problemas do país despertaram em muitos cubanos expectativas de melhorias econômicas durante o um ano e meio que substituiu interinamente Fidel.

Com seu vozeirão grave e pausado, o general já afirmou que não há soluções mágicas e -- sobretudo -- que não se afastaria nem um milímetro da linha política implantada por seu irmão.

Raúl já advertiu que os Estados Unidos estão à espera de uma oportunidade para apagar o socialismo cubano do mapa. Ele foi o ministro de Defesa mais duradouro do mundo.

Se Fidel Castro sempre foi movido pelos problemas da humanidade, Raúl parece mais concentrado nas questões internas.

Uma de suas prioridades é revigorar a agricultura para colocar mais alimentos na mesa dos cubanos e poupar para o país algumas centenas de milhões de dólares em importações.

Ele indicou ainda que pretende acabar com um "excesso de proibições" e, segundo alguns, estaria disposto a simplificar os trâmites migratórios e até liberar o mercado imobiliário e de automóveis.   Continuação...