Déficit externo diminui em maio, mas BC prevê ano pior

segunda-feira, 23 de junho de 2008 14:01 BRT
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O déficit em transações correntes do Brasil desacelerou em maio para 649 milhões de dólares, melhor valor apurado no ano, mas a acomodação não impediu o Banco Central de elevar sua estimativa para o saldo negativo de 2008.

O BC prevê agora déficit anual de 21 bilhões de dólares, ante projeção anterior de 12 bilhões de dólares. Caso confirmado, o déficit será o mais forte registrado pelo país desde 2001.

O mercado, que já vinha estimando números menos favoráveis que o BC, espera saldo negativo de 23 bilhões de dólares no ano, segundo o relatório Focus.

Em maio, o arrefecimento do déficit frente ao mês anterior refletiu, principalmente, um recuo nas remessas feitas pelas empresas e também uma elevação pontual das exportações por força da liberação de embarques represados.

"Isso ocorreu por força de uma acomodação das remessas de lucros, que foram muito fortes a partir do segundo semestre do ano passado, mas começam agora a mostrar uma redução", afirmou o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes.

Em abril, o déficit havia sido de mais de 3 bilhões de dólares.

No acumulado em 12 meses, o déficit da conta corrente alcançou o equivalente a 1,11 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), ante 1,08 por cento do PIB em 12 meses até abril.

De janeiro a maio, o déficit em transações correntes foi de 14,717 bilhões de dólares, inferior ao total de investimentos estrangeiros diretos no país no período, de 13,984 bilhões de dólares.   Continuação...